| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

Do amor verdadeiro


Encontrei uma caixa com cartas trocadas pelos meus pais enquanto namoravam, era a forma usada para encurtar a distancia, o meu pai estava na tropa e a minha mãe na aldeia. Cheiram a pó e a antigo... 
Desfolhei algumas com autorização o papel amarelado conferiu-lhe o contexto histórico que as datas inscritas em cada uma confirmava, os textos foram escritos pelas mãos ou na máquina

mais do que o conteúdo, o que ficou ali marcado para todo o sempre foi a dedicação de quem escreveu, o sentimento que fora colocado em cada palavra, o respeito que transmitiam, o amor que cada letra continha em si...

Tudo aquilo que hoje se perde

2 comentários:

  1. Eu sou assim e assim sou eu, já leste o livro do Lobo Antunes, sobre as cartas de amor, cartas da guerra?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu também não li
      mas aceito a sugestão
      obrigada

      Eliminar

*