| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

Tempestades


Os ventos que às vezes nos tiram algo que amamos, são os mesmo que trazem algo que aprendemos a amar
Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado e sim aprender a amar o que nos foi dado
Pois tudo aquilo que é realmente nosso, nunca se vai para sempre

E quando a ti, minha liberdade, estamos prestes a poder pular juntas,
pelos campos verdes, vamos abrir os braços e sentir o vento soprar-nos na cara

Sem comentários:

Enviar um comentário

*