| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|


- Mãe, o meu coração está a doer, podes pôr pomada?
Com uma certa preocupação, a mãe pergunta -
- O coração, filho? Como assim? O que aconteceu?
- Não aconteceu nada mãe, começou a doer do nada, mas está a doer muito, passa com uma pomada!
- Não existe forma de passar pomada no coração, filho, o que estavas a fazer quando começou a doer?

- Eu estava a falar com a Laura, lá no baloiço da escola, e depois ela contou-me que gostava do Hugo, aquele meu amigo que vem sempre aqui a casa, e depois, quando ele passou por perto ela levantou-se do baloiço e foi atrás dele e deixou-me sozinho, e depois o meu coração começou a doer, e ainda doi.
A mãe assustada, não sabia o que dizer ao filho, simplesmente o abraçou e sussurrou ao ouvido:
- Filho, tu conheceste o amor.
O filho, baralhado, perguntou:
- O amor? Mas tu sempre me disseste que o amor era uma coisa boa, então porque ele está a fazer doer o meu coração?
- Nem toda a gente sabe valorizar o amor, e quando o amor se oferece a alguém, e esse alguém não dá valor, o amor fica triste e volta para a sua casinha, que é o coração, e para o amor entrar de novo no coração, provoca uma dor grande. E essa dor que fica no coração chama-se decepção.

4 comentários:

*