| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

Coitado do meu filho


.
Fico a pensar no que a vida lhe reserva, educado de forma tão agressiva pela sociedade, que as vezes dá-me nojo ser humana. Desde criança, antes dos primeiros passos, sofreu horrores e isso fez-me acreditar  que a felicidade está nas pequenas coisas, mesmo as mais banais.
Hoje ninguém valoriza a natureza, coisas simples, como sujar-se na terra, brincar às apanhadas com os amigos, coleccionar coisas… Muitas crianças de hoje nem sabem o que isso é, foram engolidas pelos jogos electrónicos e internet, enquanto deviam andar apenas por aí a correr. Vão presenciar a violência o tempo todo, ou até participarem nela, na televisão, nas ruas, em casa, nos sítios públicos, em todo o lado… Elas crescem, com 8 anos já amam, e quando o amor começa na vida dessas pequenas pessoas, elas já começam também a sofrer, é nessa idade que as paixões verdadeiras acontecem. Eu ainda hoje me lembro de me ter apaixonado de uma forma incrível, não podia sequer olha-lo na cara. Depois passa… TODAS AS CRIANÇAS são desde muito cedo “obrigadas” a perder a virgindade, caso contrário são ridicularizadas pela sociedade, infantis, as vezes a pessoa nem quer e acaba perdendo por causa de outras pessoas, é mesmo assim. Também há a moda das bandas e estilo musical, não é? O gosto tem de ir ao encontro do gosto do resto do mundo porque assim a pessoa é interessante, tem estilo. Chegam aos 15, 16 anos, se é virgem ainda: “Como pode alguém ser tão infantil para ainda ser virgem com esta idade?” Provavelmente é isso que muitas pessoas vão ouvir, ridículo não é?
Realmente tenho muita pena do meu filho, por mais que eu queira, não posso mudar o mundo… Mas esta é uma realidade, é pena. Resta-me fazer o que for impossivel

6 comentários:

  1. Um post bem real e assustador. Como em tão pouco tempo tudo se transformou... Nem foi preciso uma década para as brincadeiras se modificarem totalmente. Quanto à sociedade será sempre um bicho vazio capaz de influenciar os "mais frágeis".

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente não podemos mudar o mundo...resta-nos educar as crianças o melhor q sabemos.

    ResponderEliminar
  3. Obrigado pelo comentário. Bom saber que alguém passou para nos ler. :)
    Quanto ao post concordo e acrescento: de hoje em dia vejo miúdos a fazerem tudo para se integrarem, e isso inclui, obviamente, seguir por maus caminhos. Tenho 19 anos, ainda cheguei a jogar ao berlinde, por exemplo, hoje vejo os miudos agarrados a consolas portáteis. :/

    ResponderEliminar
  4. Óptimo então :D Gostas de metallica é? :)

    ResponderEliminar
  5. Eu acho que o caso não é tão grave.
    É a própria adolescência que se encarrega de obrigar a isso e não os outros adolescentes.

    ResponderEliminar

*