| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

Pois não!


O que me interessa no amor não é apenas o que ele me dá, mas principalmente o que ele me tira: Carências, ilusões, solidão, vazios e esta disponibilidade eterna para todos, para qualquer coisa, a qualquer hora. 
Ele - o amor - apazigua-me o peito com prós e contras, dá-me escolhas. O amor tira de mim a armadura e a intransigência  pois não consigo controlar a vulnerabilidade que trás comigo. Ensina-me - o amor - a negociar prazos, superar etapas, confiar factos. O amor tira de mim a vontade de desistir com facilidade, de virar as costas e ir embora, de abandonar sem saber porquê

E é por isto que o amor me assombra tanto que me delicia. Porque não posso virar as costas quando alguém me delicia, não quero alguém estar sozinha quando o meu ser transborda companhia. O amor tira-me coisas que não gosto e coisas que talvez gostasse, mas dá-me em dobro o que nunca tive: Um enamoramento por ele mesmo

2 comentários:

  1. O amor é suposto ser felicidade e não sofrimento!

    ResponderEliminar
  2. Podemos barafustar... dicutir... ficar mal dispostos ou nervosos...

    ...mas no final o amor sempre vence.

    :*
    :*

    ResponderEliminar

*