| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

Amigos?

Tenho mantido com o Pai do Piolho a maior e mais pura amizade (a meu ver) neste ultimo ano e meio de separação e uma vez que assim é, é nele que tenho depositado todas as minhas confidencias, é a ele que vou buscar o abraço reconfortante nos dias mais difíceis e é a ele que vou buscar o brilho do olhar que preciso para me iluminar o caminho. Hoje ontem fui apenas a portadora da realidade com que tantas vezes nos confrontámos mutuamente, nós tínhamos prometido que, se um dia um de nós encontrasse outra pessoa, se um de nós decidisse avançar com a sua vida por outros caminhos, seriamos os primeiros a comunicar um ao outro e nada disto alguma vez afectaria esta nossa boa relação de amizade. Tudo isto na teórica foi muito bem acordado, conversado e combinado, tudo isto foi desculpa para um apertar de mãos, um abraço e votos mútuos de felicidade. Mas agora... Agora na prática, agora que desci dos meus saltos e estamos igualmente de pés no chão, agora sem máscaras ou malícia, as coisas não foram interpretadas tão bem como quando tantas vezes falámos...
Agora ganhei uma consciência ainda mais leve, mais tranquila mas perdi alguém que tratei como amigo, perdi um amigo que nunca o soube ser


2 comentários:

  1. Quando eu e o meu namorado terminámos, acordámos o mesmo. Aliás, ele fez-me prometer issomesmo coisa que eu sempre achei artificial porque apesar de temros mantido a amizade, não me estava a imaginar arranjar alguem e certo dia mandar-lhe um mail a dizer... "olha, conheci uma pessoa..." principalmente porque ele ainda gostava de mim (o que talvez já não seja o teu caso).

    Ironia da vida (que eu já sabia que ia aocntecer) ele arranjou primeiro do que eu e não me disse nada. Primeiro revoltei-me com a falta de equidade mas depois pensei: olha passear e faz bom proveito. Obrigada por me dares uma razão para eu te tirar do pedestal onde te tinha colocado (ele sempre foi muito correcto). É que a verdade, é que nesse pedestal só temos de estar nós.

    Estou certa que a minha história não tem as mesmas nuances que a tua (a começar pela relação, pelo filho em comum...) mas percebi-te quando li o que escreveste. Tenta fazer como eu, toma isso para teu proveito.

    Beijinho

    ResponderEliminar

*