| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

Os meus pais


 fizeram [só] a 4ªclasse, mas à uns anos atrás, e com a vontade que lhes assiste em aprender, a curiosidade em saber mais, fê-los aventurar-se pelas Novas Oportunidades [e não quero saber de opiniões acerca desta iniciativa porque sei que a maioria discorda] na minha opinião pessoal, e em relação aos meus pais, foi das melhores oportunidades que a vida lhes ofereceu. Aprenderam, criaram, desenvolveram e instruíram-se. O melhor partido que tiraram foi a nível informático, conheceram o computador e aprenderam as noções básicas, descobriram e deliciam-se com o mundo da internet, e eu gosto. Hoje mandam e-mails, falam com amigos e familiares distantes, tudo através deste brinquedo, como lhe chama o meu pai. Com o progresso que manifestavam, falei-lhes na possibilidade e facilidade de procederem  a consultas e movimentos bancários através do computador, foram ao banco, procederam às burocracias necessárias, foram-lhes facultados os códigos de acesso e foi tudo muito prático e simplificado, entenderam à primeira e todas as manhãs lá está a minha mãe a consultar os investimentos.

Esta manhã chegou pelo correio um novo código do qual não tínhamos conhecimento, dirigi-me ao banco para esclarecer: apercebi-me imediatamente da má vontade da funcionária [que pontaria tenho] e depois de me baralhar, explicar duas vezes, voltei  a dizer que não tinha entendido a explicação, agradecendo que deixasse ser eu a fazer as perguntas, ao que responde:
-Não percebeu, AZAR!
-[Oi?] Não entendi, azar!? Desculpe, mas não é assim, não entendi e a senhora vai voltar a explicar-me mais uma vez, ou duas ou aquelas que sejam necessárias até que eu fique esclarecida, é que eu, tenho metade da sua idade [a senhora não tinha 62anos, paciência] e não me lembro de ter faltado ao respeito, exijo que procedam comigo da mesma forma que ajo com os outros!
- Pois olhe, nem tenho de lhe prestar informação nenhuma porque a senhora nem é titular da conta [o que também é verdade]
- [mas à pouco naquela baralhação/explicação, pôde]
Não, não sou, mas iniciou a explicação e agora pretendo sair daqui esclarecida
E de trás dela surgiu um colega [porque é que nestas situações os homens são sempre mais acessíveis?] que pediu desculpa, de forma calma e simpática e me esclareceu que devido a um erro bancário alguns clientes tinham recebido por engano esse código, o qual deveria ser ignorado, ao contrário daquilo que a minha colega lhe estava a tentar explicar, quando lhe disse que o devia inserir no determinado canto do portal. É tudo! Agradeci, voltei a olhar a senhora, voltei a agradecer e... Vim embora


- então e se eu pegasse no papel com o código e lhe inserisse a ela, num determinado orifício?

8 comentários:

  1. Hehehhehee!!!
    Demais!
    Existem pessoas que definitivamente não nasceram para lidar directamente com o público ou prestar qualquer tipo de serviço!
    Beijinho e boa sorte numa próxima!

    ResponderEliminar
  2. enfim ... há maus funcionários em todo o lado :S
    **

    ResponderEliminar
  3. Querida Smile, estás ver porque é que eu acho que anda toda a gente mal disposta e de mal com a vida e com os outros? :P

    ResponderEliminar
  4. Ah, e parabéns aos teus pais por terem aproveitado as Novas Oportunidades! :)

    ResponderEliminar
  5. gente assim merece logo ser mandada para um sitio feio mas como somos bem educados mereciam sim "eu pegasse no papel com o código e lhe inserisse a ela, num determinado orifício" :)

    ResponderEliminar
  6. muito interessante, eu sei bem o que lhe fazia

    ResponderEliminar

*