| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

É (mesmo) Natal

É a azáfama, a correria das compras. Existe um crescente aumento de vendas no comércio, depois de mais um ano "apertado". Está aí, o espírito natalício, as ruas enfeitadas com luzes a piscar, lojas minuciosamente decoradas e envolventes nas suas vendas. Nas casas os pinheiros, os presépios e restantes alusivos a esta época As famílias. Todos felizes, à mesa, reunidos, bons amigos, artificialmente felizes, cortam o peru e devoram a ceia. É natal. Do dia 24, todos as crianças conhecem a magia. Vestidas e preparadas, esperam os embrulhos.São esquecidas as travessuras e amarguras dos restantes 364 dias, hoje são lindos anjinhos. O Natal começou mas daqui a um semana tudo voltará ao normal e o normal é a vida, tal qual como é, sem máscaras

4 comentários:

  1. Hoje em dia nem no Natal as máscaras existem, pelo menos eu não ponho. Aquela história do é Natal, é só hoje comigo não cola.
    Quando nos outros 364 dias não estão lá no Natal esqueçam também as sms por favor.

    ResponderEliminar
  2. Sorte os que têm Peru ou Polvo para a ceia de Natal.
    ...a mim calha-me sempre o (já pelos cabelos) bacalhau com batatas e coivanas.

    blaaaaghh


    Espero um dia ter Natais diferentes... com uma mulher que me faça uma ceia diferente.

    :*

    ResponderEliminar
  3. mesmo...

    nada a acrescentar, disseste tudo...

    ResponderEliminar

*