| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

enfim...

Agora somos regidos pela lei que chegou e disse: -Estou aqui e a partir de agora é como eu digo!
Portanto's há que aproveitar, agora ainda mais, pois passarão a 'roubar-me' dois fins de semana quase inteiros de filho credo! por mês, o que para uma mãe que já se separa do filho para trabalho e escola, juntando mais esta lei agora, é de uma biolencia atroz, mas isso não interessa nada até porque como já se sabe, é tudo muito bonitinho, certinho, direitinho e perfeitinho, mas não passa de um principio, de um agora-enquanto-isto-está-fresco: Que eu sei tão bem como são as coisas, estas coisas. Com o andar da carruagem a coisa muda mas isso são outros contos que para já não interessam a ninguém... Imaginando querido-filho como uma bola, ele agora está do meu lado e tenho de aproveitar a jogada, não estou contra a outra equipa nem pretendo vencer o jogo, quero sim aproveitá-lo enquanto posso 

6 comentários:

  1. Depois de algum tempo a acompanhar-te também sinto essa lei injusta. Ao fim de semana é quando aproveitamos os nossos filhos, com tempo, sem stress e longe das rotinas que, por vezes complicam o dia ou o tornam mais stressante. Além disso, a parte de tomar conta diariamente, lidar com os aspetos positivos ou menos positivos (que são inevitáveis) acabam em desvantagem com o momento de descanso do fim de semana. Quem sabe se os teus fins de semana com ele vão acabar por render mais ou quem sabe se lhes poderás dar outra cor? E dir-te-ia ainda que, sabe bem aos filhos (principalmente aos adolescentes), sentirem saudade do porto de abrigo (que és tu), da pessoa que toma conta deles. Eles às vezes não se dão conta e até parecem um pouco desligados (não é o meu caso porque o Martim é pequeno, mas sei que há de lá chegar).
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Por favor, não entres por aí. Trabalho na àrea e é do pior que se pode fazer aos miudos!

    ResponderEliminar
  3. Respondendo ali à "Aline"...

    Que solução ideal terias tu Aline?
    Para ti o ideal seriam duas horas, um Domingo por mês, passadas dentro de um carro em terra de estranhos?

    Acho que andam por aí muitas mães que utilizam muito pouco o bom senso e muito pouco o método de psicologia inversa.


    Deixa-me perguntar-te uma coisa Aline...
    Tu gostarias de ter crescido estando com o teu pai um Domingo por mês?


    Sabes porque é o mundo está uma merda?
    Porque está cheio de pessoas que não conseguem ver além do seu umbigo.




    ResponderEliminar
  4. Anónimo9/25/2012

    Pois eu concordo a 200%, o que se vê, o que se constata imensas vezes, são pais biológicos que se acham fantásticos por passearem os meninos aos fins de semana, mas não estão no dia a dia, nas horas difíceis, nas tarefas chatas, em nada. Que nem pagam alimentos aos filhos, ou logo deixam de pagar, e vão viver as suas vidinhas achando que as ex é que são más.
    Força e dá tempo. Há-de chegar a altura em que o pseudo-pai se revela com o egoismo habitual. Ps filhos crescem e aprendem. Sabem. Conhecem. E escolhem, pois claro.

    ResponderEliminar
  5. Hummmm verdades feitas? E certas?? Não conheço! "Há mais coisas entre o céu e a terra do que a tua vã sabedoria pode supor", alguém disse.

    Também tenho 2 filhos (4 e 8 anos)nessas circunstâncias e sei lá se tomo / tomei as melhores decisões!!! Vamos achando que sim...

    anabela

    ResponderEliminar

*