| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

nada disto faz sentido

Nada disto é para ser percebido, compreendido ou mesmo lido... mas preciso escrevê-lo 

Cresci habituada a mordomias, papinhas feitas e desejos concedidos, sempre retribuí, valorizei e agradeci. Um dia tive de prescindir de tudo porque embarquei numa aventura que não podia ter corrido pior, na verdade ainda podia ter sido um bocadinho pior ainda assim, aprendi a viver com menos, muito menos, sem mordomias, papinhas ou desejos, estive lá em baixo, bem no fundo, assumi tudo o que havia para assumir, arregacei mangas, trabalhei para me levantar e pouco a pouco fui conseguindo, ainda não acabou, ainda terei muito que penar até me livrar de tanta merda conta, mas não morri! Aprendi a viver com menos, muito menos, mas sobrevivi e não me arrependo nada desta lição, nada! Se gostava de poder comprar mais, viajar mais, aproveitar mais? Gostava, claro! Mas aprendi a ser feliz no agora, com o que tenho e com quem me rodeia. Valorizo muito o presente!

O que ainda não consegui digerir, que me fica entalado na garganta e não desce ao estômago é o facto de olhar para o lado e ver realidades iguais que não prescindem de nada, aproveitando-se de quem já está habituado a não ter... Em resumo, há gente que tem mais de mim que aquilo que na verdade merece e esse é o grande problema
vou aqui voltar para ler porque preciso interiorizar,
agora só quero desabafar