| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

adeus carnaval

Querido-filho gosta tanto de carnaval como eu de me chatear = NADA! Respeito-lhe isso a custo insistindo apenas 500 vezes perguntando porquê e desafiando ‘anda lá só um bocadinho’ não vale a pena, não gosta e acabou, custa deixá-lo e sair JURO! Sinto-me incompleta, falta aquela parte de mim e levo a sensação que fica triste quando o deixo no mimo dos melhores avós do mundo fica, fica. É foi carnaval, cada ano lhe sinto mais o peso, está a ficar obeso e já não o carrego durante tanto tempo como antes. Recordo com saudade anos vividos de sexta a quarta, custa-me cada vez mais o barulho e confusão das noites intensas, sorrisos rasgados, rever amizades, reencontros nesta altura, dançar, pular, beber, cantar.
Ser feliz no carnaval*
Carnavalices arrumadas, este ano não emprestei nenhum dos meus fatos, dificilmente voltarei a fazê-lo, eram mais de vinte os que tinha, que comprei, que fiz ou mandei fazer. Este ano tinha oito, apenas, ainda fiz um apelo para que fossem devolvidos mas de nada adiantou, alguns sei onde estão, outros sei que não voltarei a ver ainda assim havia esperança que um ou outro de-se à costa. Nada! Para o próximo ano já fervilham ideias, é sempre assim, enquanto isto ainda está quente não faltam planos nem chegam os dias para tanta ideia, mas depois vem o calor e outros festejos menos importantes, claro e estes perdem a força, no próximo carnaval logo se vê.