| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

serás sempre a personagem principal na história da minha vida


Vive em mim a sensação de não ser capaz de transmitir aquilo que verdadeiramente sinto ou verdadeiramente é este filho, a sorte que tive e tenho por me ter calhado um ser meigo, 
sensível e extremamente educado, um companheiro na e para a vida, este filho lindo que amo incondicionalmente, cada dia mais um bocadinho, que me completa, preenche e enche de tudo o que de bom existe. 
O mesmo filho que manda baldes de agua fria quando o tema é escola, que não nasceu para aquilo, ainda assim faz um esforço, ainda assim se interessa às vezes e ainda assim se empenha quase sempre mas ainda assim, muito aquém do suficiente. Ainda que me digam que passa com a idade, que não devo sofrer por antecipação, que... não consigo esperar de braços cruzados nem tão pouco ficar feliz quando o recebo em casa com mais uma negativa. Às vezes choro! Hoje chorei! Quanto ao amor por ele? Esse continua a crescer, ainda assim todos os dias 

11 comentários:

  1. Independentemente das notas vais amá-lo sempre, para sempre! Claro que como educadoras que somos dos nossos filhos queremos sempre o melhor para eles e muito sucesso escolar.
    Tenta fazê-lo entender que se todos os dias se dedicar a estudar a matéria que deu nesse dia depois nos testes vai ser muito mais fácil, do que estudar na véspera. Isso e estar atento nas aulas.
    Não fiques triste.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Obrigada TÉ
    É realmente uma desilusão, eu que sempre fui boa aluna e bastante aplicada. O meu filho estuda todos os dias, ainda assim, quando o interesse é pouco, quando a turma toda puxa para o outro lado e quando ele próprio é influenciável (sempre para o mal) a coisa torna-se difícil, mas vive-se, com este desgosto, com esta mágoa, mas vive-se. Para além disso acredito que agua mole em pedra dura um dia resulto e por isso insisto e aconselho todos os dias. Beijinho para ti

    ResponderEliminar
  3. Cheguei a estudar com os meus mais crescidos ;)
    Pedia-lhes que viessem para a cozinha para ao pé de mim, enquanto eu fazia o jantar. Em ciências e em história dizia-lhe para ler em voz alta. Depois de eles lerem, a matéria que fosse, fazia-lhes perguntas ao que tinham acabado de ler. Outras vezes pegava eu nos livros e depois num caderno nosso de casa fazia perguntas para eles responderem por escrito. Outras vezes pedia-lhes para fazerem resumos de determinados textos.
    Tentava desta forma ajudá-los e incentivá-los. Penso que resultou!
    Tenta fazer isso com ele.
    Mais um beijinho
    ;)

    ResponderEliminar
  4. hoje sinto muita tristeza nas tuas palavras, espero que seja só uma fase que vai passar porque como tu disseste não vais ficar de braços cruzados,
    beijinho querida

    ResponderEliminar
  5. Té*
    É justamente o que faço com o meu filho, com a diferença que na maioria dos dias já tenho jantar feito na casa da (minha) mãe e o tempo que passaria a fazê-lo posso dedicar-me inteiramente ao meu filho. Já questionei se será este o melhor método de estudo, o que (também) uso. A matéria fica sabida, mas depois, a distracção e falta de atenção ao ler as perguntas dos testes deita tudo abaixo, mas a persistência é uma qualidade (?) que tenho e por isso não baixo os braços. Não posso baixar, enquanto tiver forças será assim

    anf*
    é um sentimento que hoje me acompanha, nas palavras, na expressão, em mim, mas vai passar, sei que vai. Obrigada

    ResponderEliminar
  6. Ainda não sou mãe, mas fui uma aluna sui generis: óptima naquilo que apreciava, de um desprezo a roçar o fora do normal pelas matérias que detestava. Cada um tem a sua inteligência e rebeldia próprias; em encontrando aquilo que realmente adora fazer, tudo irá ao lugar. Por vezes quem tem muita imaginação, muito espírito, muita sensibilidade, não é um aluno modelo.

    ResponderEliminar
  7. IMPERATRIZ*
    O meu filho é bom num monte de coisas, práticas, principalmente, mas não chega e há dias que nos caiem em cima como bigornas

    Beijinho pa ti e pa ti RITA*

    ResponderEliminar
  8. Não imagino o que estejas a sentir. Não podes desistir e tens de incentivá-lo sempre. Elogiar todas as coisas em que ele é mesmo bom e fazê-lo ver que mesmo as matérias que gosta menos irá ter de estudar e conseguir o mínimo para terminar a escola...

    Não sei mesmo... podia disparatar uma montanha de coisas como professora mas o meu coração de mãe fala mais alto...

    Força.

    beijinho especial

    ResponderEliminar

*