| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

conjugar o futuro na lembrança de um passado

Ontem foi dia de lembranças, recordações e sentimentos. Ontem fez anos que a vida ou alguém por ela me roubou os sonhos, os que tinha como certos e seguros, me faziam acreditar na primeira pessoa do plural, me moviam, me empurraram para a frente, caminhar, mas acima de tudo, crer no amor de paixão. Tão nosso ou seria só meu? conjuguei com toda a convicção o verbo acreditar e fiz dele filosofia para a vida, pensei com o coração, sempre e só, acreditei que o amanhã seria melhor, muito melhor, mas não era, e eu BURRA continuava a acreditar com todas as forças. Pelos nossos sonhos, pela nossa família...
um dia, no dia de ontem, mas há anos que já perdi a conta, o que guardo de tudo é apenas a força com que renasci, a pessoa em que me tornei, a mãe que se me gerou, o filho que conheci e aprendi a amar com aquele amor que só as mães amam os filhos. Se soubessem como é bom amar assim.

ontem voltei a sentar-me na frente do passado, incrivelmente para falar do futuro, ontem, como não podia deixar de ser, voltei a desiludir-me e a dar-me a certeza que a melhor atitude que podias ter tido um dia foi mesmo essa, virar-me as costas

11 comentários:

  1. este texto é de uma maturidade. que poucos adultos conseguem ter...
    Parabens pelo caminho... pelo rumo que dás à tua vida e do teu filho.
    Obrigada pela partilha da tua experiência
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. este texto é de uma maturidade. que poucos adultos conseguem ter...
    Parabens pelo caminho... pelo rumo que dás à tua vida e do teu filho.
    Obrigada pela partilha da tua experiência
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. este texto é de uma maturidade. que poucos adultos conseguem ter...
    Parabens pelo caminho... pelo rumo que dás à tua vida e do teu filho.
    Obrigada pela partilha da tua experiência
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. este texto é de uma maturidade. que poucos adultos conseguem ter...
    Parabens pelo caminho... pelo rumo que dás à tua vida e do teu filho.
    Obrigada pela partilha da tua experiência
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Cada dia me maravilho mais com as vindas a este espaço. Um dia destes partilho contigo, via mail um pouco da minha história para que tenhas noção do peso que tens na vida de quem te lê

    ResponderEliminar
  6. Olá! Chamo-me Wendy e adivinhe...também tenho um blog.
    Um dos meus objectivos para este ano era chegar aos 250 seguidores e para que tudo seja justo, pensei: eu deixo o link do meu blog ( http://theotherprincess.blogspot.pt) se quiser seguir, siga, e se quiser que eu siga de volte, avise!
    Obrigada!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  7. Ecos de sentimentos que não são só seus. Talvez ajude saber que não está sozinha, que isto que lhe aconteceu se repete por aí à toa. No meu caso com três crianças pequenas e o peso do desespero de perceber que me tinha cruzado com alguém sem escrúpulos. Sobrevivemos porque somos mães. E ser mãe é ser capaz de enfrentar de peito aberto todos os ventos de todas as tempestades. :)

    ResponderEliminar
  8. Excelente texto. Como disse a Valsita, parabéns pelo caminho, e continua assim.

    ResponderEliminar
  9. Ena... direito a 4 vezes o mesmo comentário... quanta honra :)
    estou a brincar...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Vais ver que vais voltar a encontrar essa força e essa esperança de que falas. Desta vez, estás mais segura, mais atenta e isso faz de ti outra mulher.
    Oxalá resolvas tudo da melhor forma.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  11. como disse a Inês, "ecos de sentimentos"...há muito por aí...eu fiquei com 1 de 14 meses, com toda a família longe...sou eu e ele, e o que me conforta ao passar aqui e ler as suas palavras, é saber que é possível e que daqui só posso sair mais forte...já que o amor de mãe, esse já cá canta...e é nosso, muito nosso:)
    Parabéns e obrigada pela partilha!

    ResponderEliminar

*