| p r e f á c i o |

|odiario.blog@gmail.com|

quando se arrisca [demais]





Um pessoa conhece outra pessoa.
Uma pessoa gosta da outra pessoa.
Uma pessoa conhece os sonhos da outra pessoa.
Uma pessoa conhece os dotes da outra pessoa.
Uma pessoa esbarra na rua e por acaso com o sonho da outra pessoa.
Uma pessoa apanha do chão esse sonho e vê nele a oportunidade de sonho da outra pessoa.
Uma pessoa pondera a possibilidade da realização do sonho da outra pessoa.
Uma pessoa começa a delinear o projecto sempre com a imagem da luz ao fundo do túnel.
Uma pessoa não pensa em contras e afasta tudo o que é má energia.
Uma pessoa sabe que o ultimo passo necessário está à distância de um telefonema.
Uma pessoa telefona.
Uma pessoa aguarda.
Uma pessoa recebe de volta a chamada de resposta.
Uma pessoa acaba de provar a si mesmo que a boa vontade é meio caminho para a realização.
Uma pessoa fica eufórica, dá pulos de alegria no local de trabalho e deixa todos a olhar para si.
Uma pessoa precisa de partilhar essa história mas só o fará pessoalmente.
Uma pessoa encontra outra pessoa online e não aguenta de entusiasmo.
Uma pessoa partilha a alegria através das teclas e com os dedos a tremer de felicidade.
Uma pessoa fica feliz por partilhar a noticia com outra pessoa que a recebe com orgulho e felicidade.
Uma pessoa vê chegar a hora de comunicar pessoalmente a noticia à outra pessoa.
Uma pessoa aproxima-se da outra pessoa.
Uma pessoa tem um sorriso que dá duas voltas ao rosto e o qual não consegue disfarçar.
Uma pessoa transforma-se em adolescente de treze anos e dá pulos de alegria antes de abrir a boca.
Uma pessoa começa a deixar outra pessoa nervosa.
Uma pessoa pede um abraço apertado antes de abrir a boca.
Uma pessoa ganha coragem e diz de um só fôlego o que andou a tramar ás escondidas durante este tempo.
Uma pessoa termina o atropelo de frases com um 'foste seleccionado'.
Uma pessoa teme agora pela própria vida porque nunca pôs em causa uma possível não-satisfação da outra pessoa.
Uma pessoa reza o terço três vezes naquela fracção de segundos, no compasso de espera em que não é capaz de definir nas feições da outra pessoa qual o grau de satisfação.
Uma pessoa vê levantar lentamente um braço da outra pessoa e pensa que parte do corpo irá pagar pelo que fez.
Uma pessoa alia-se ao positivismo e vê o rasgo de um sorriso na expressão da outra pessoa.
Uma pessoa recebe um abraço e entre a felicidade começa a temer pela vida pensando que pode ser vitima de estrangulamento. 
Uma pessoa percebe finalmente que a outra pessoa está feliz. Muito feliz
Uma pessoa tá feliz.
Uma pessoa fez outra pessoa feliz e a essa outra pessoa juntou-se outra e outra e outra.

E assim se vai dando sentido à vida.

Hoje eu por eles, amanhã eles por mim
[E há pessoas que entram e já não saem cá de dentro]